Aprofundando no karma: dissolvendo ou transformando em missão



A maioria das pessoas levam a vida presas em padrões mentais e emocionais de comportamento que as mantém condicionadas a uma vida limitada ainda que por dentro anseiem libertação.


Desta forma mantêm-se presas tanto nos emaranhados kármicos frutos de atitudes passadas quanto nos próprios comportamentais formadores e mantenedores dos mesmos não conseguindo deles se libertar.


Aprofundando nas raízes dos padrões de sentimentos e pensamentos que constituem a natureza do ser é possível trazer para a consciência a história pretérita, seja desta ou de vidas passadas, apontando os eventos traumáticos e devolvendo a história recontada à luz da consciência atual no que chamamos de ressignificação da própria vida.


As raízes dos padrões de comportamento são por meio da Terapia Lumni acessadas pela psicanálise e pela regressão de memória e tratadas via ressignificação, elaboração do conteúdo e tratamento apométrico com dissolução das energias estagnadas dos eventos anteriores. Aliado ao tratamento no nível mental e emocional acessa-se e trata-se o universo astral do paciente conferindo libertações e reposicionamentos da consciência frente ao próprio processo levado em curso.


Quando o trabalho de reconstrução da própria história se realiza à luz da consciência é possível ao indivíduo se libertar dos padrões mentais e emocionais anteriores podendo inserir uma nova conduta, dado o rompimento dos novelos inconscientes e dissolução das energias que aprendiam em eventos passados.


Dentro deste entendimento, quando o karma está constituído como resultado de padrões de pensamentos e atuações atuais ou pretéritas, rompendo-se com os mesmos, libera-se o karma.


Já quando as condições kármicas não podem ser dissolvidas dada a complexidade dos fatores que as mantém formadas, o reposicionamento psicoemocional do indivíduo frente à própria vida pelo autoconhecimento o coloca em condições de transformá-las em missão ao substituir a postura passiva e paralisante de antes pela ativa e consciente que surge de um processo continuado de responsabilização e burilamento interior.